ARBL Equipas Open - Sessão 11 - Mão 2 e 5



Análise Classificação

Mão 2



Na minha mesa o leilão seguiu assim:

Este    Sul     Oeste   Norte
1C      P(!)    3C*     P
4C      4E**    5C***   5E
Dbl     P       P       P

O passe de Sul pode ser definido como a táctica do "atrás da moita". A marcação de 3 é barragem (0 a 7 com 4 ou + cartas de apoio), 4 mostra uma abertura forte e 4 quer dizer: "Parceiro, acordei!". Sabendo que passando o leilão iria seguir com Passe - Dobre da minha parceira, colocando-me a pressão de decidir o que fazer, decidi inverter as posições e colocar a pressão na linha contrária, marcando 5. Claro que Norte marcou 5, que a minha parceira dobrou. O resultado foi normal, mas o jogo é muito curioso, uma vez que se ganha partida nas 2 linhas, em mais uma demonstração prática da Lei das Vazas Totais. Por último, 5 pares só pararam em 6, 3 pares cumpriram 5, difícil de entender quando a defesa tira A, R, A e 1 cumpriu 5 dobradas, algo ainda mais estranho...

Mão 5



Um jogo incrível em que 8 pares conseguiram jogar 3ST, quando 7 só se perdem com os trunfos 4-0 e que ilustra bem a falta de preparação de muitas parcerias para investigar chelemes em menores. De registar que o contrato de 6ST, escolhido por 8 pares, se perde com a saída a copas, saída que foi descoberta numa das mesas. Dos restantes, 5 pares marcaram 7 ou 7ST, contratos mais ou menos equivalentes, parecendo-me que o contrato de 7 é ligeiramente superior e 5 pares optaram pelo contrato de 6 que é a 100%, mas apenas ligeiramente superior ao contrato de 7. Pelo andar da conversa não é difícil perceber que eu e a minha parceira só parámos em 7, enquanto do outro lado os nossos adversários se ficaram pelo modesto contrato de 3ST...

Luis Oliveira

Comentários

( Envie os seus comentário para Email Comentários )