SPLINTER BID
texto baseado no livro "Hands Evaluation" de Mike Lawrence

Para muitos, a melhor convenção do bridge moderno. Com efeito, a convenção permite:

Como qualquer outra convenção, o SPLINTER não resiste a utilizações abusivas. Por ser uma voz que rouba espaço de marcação, é fundamental que a informação transmitida seja precisa. Nesta abordagem, vamos referir as situações standard e algumas variantes.

Situações standard

CASO 1 - SALTO ANORMAL NUM NOVO NAIPE
Quatro ou mais cartas de apoio no naipe do parceiro, singleton no naipe anunciado

EX 1:
SUL
ª
R1087
RD96
¨
A1063
§
8
NORTE
1ª
SUL
4§
Situação clássica

EX 2:
SUL
ª
AD87
RD1065
¨
3
§
DV5
NORTE
1ª

2ª

 SUL
2
4¨


Com um bom naipe 5º lateral, o respondente, pode e deve anunciar o naipe para, a seguir, utilizar o SPLINTER.

EX 3:
NORTE
ª
AD87
RD1065
¨
3
§
AV4
NORTE
1

4¨
 SUL
1ª
Neste caso, é o abridor que anuncia o fit de 4 cartas, força de partida e singleton no naipe do salto (oiros)

CASO 2 - SALTO ANORMAL NUM NOVO NAIPE, APÓS FIT
O SPLINTER pode aparecer após rebide de apoio do abridor

EX 4:
SUL
ª
ADV732
R73
¨
5
§
R107
NORTE
1§

2ª
SUL
1ª
4¨
10 trunfos em linha, bons valores, tentativa de cheleme.

EX 5:
SUL
ª
DV1087
AR8
¨
RV76
§
3
NORTE
1§

2ª
 SUL
1ª
4§
Provavelmente, uma situação delicada para muitas parcerias. A nossa proposta é utilizar a sequência como SPLINTER, uma vez que está disponível a voz de 3§ para mostrar o duplo fit.

Situações especiais

EX 6:
SUL
ª
AR7
AD87
¨
10764
§
108
NORTE

1
4¨
SUL
1¨
2
Depois de ter limitado a mão, o parceiro mostrou, mesmo assim, interesse em cheleme. Ainda para mais, anunciou um singleton no seu naipe de abertura, onde não tem qualquer valor perdido. Trata-se de um jogo onde todos os valores devem estar a funcionar. Por outras palavras, esta é uma daquelas mãos de encaixe, onde tudo o que é ponto se vai traduzir em vazas. Aconselha-se o cue bid de controlo em 4ª ou, em alternativa, a pergunta de ases.

EX 7:
SUL
ª
D75
DV72
¨
ARV43
§
D
NORTE

1

4¨
SUL
1¨
2
Uma mão mais poderosa em pontos que a do exemplo anterior, mas muito mais fraca em expectativa de vazas. Tudo isto graças ao conhecimento que se tem da inutilidade dos pontos em oiros, em frente ao singleton do parceiro. Mostre o seu desapontamento, marcando 4 .

EX 8:
SUL
ª
A875
2
¨
AD1087
§
A107

NORTE2¨ *

 SUL
1¨
4
* Menores invertidos
Tudo dito com uma única voz...

EX 9:
SUL
ª
A875
2
¨
AD1087
§
A107
NORTE
1§
2ª
ESTE
1

P
SUL
1ª
4
OESTE
P
P
A mensagem é a mesma.

EX 10:
SUL
ª
RV
RD87
¨
R7
§
107654
NORTE

1

4§
 SUL
1§
2
Acha que a mão de SUL é fraca?
Claro que já todos vimos aberturas melhores. No entanto, depois da sequência do respondente, estamos perante um jogo de encaixe, onde todos os valores funcionam. O leilão deve prosseguir com a pergunta de ases.

EX 11:
SUL
ª
RV
10987
¨
R7
§
RD654
NORTE

1

4§
SUL
1§
2

A mesma sequência, os mesmos pontos, a mesma distribuição do exemplo anterior. Contudo, um jogo completamente diferente em potencial de vazas. Resta marcar 4, com a sensação de que ganhar o contrato já não vai ser tarefa fácil.

Outras abordagens podem ainda ser feitas, nomeadamente no que respeita à graduação dos Splinters. Podem por exemplo consultar o tratamento das sequências de Splinter no sistema "2 sobre 1", publicado online nesta página.

 

TOPO DA PÁGINA